Pesquisar:







banner_yoga_pro_br

Ensinamento

Sat Sanga
Miguel Homem
24-06-2013


Sanga significa associação. Associação com um sat purusha, um sábio. Que tipo de associação? Viver, comer, procurar a sua companhia. Isto é muito importante!
Existe uma pequena semente de desejo por moksha que tem de ser transformada num verdadeiro fogo. Como existem obstáculos no caminho, muitos perdem-se. Assim, temos de encontrar pessoas que, de facto, se dediquem a este conhecimento e que nos possam ajudar. Satsanga é passar mais tempo com estas pessoas.
Desta forma, aquele desejo por moksha por menor que seja pode tornar-se ardente. Este desejo ardente tem de estar presente. Só a pessoa com esse desejo pode, de facto, entender o ensinamento. Como se deixou dito, é um desejo especial, porque atma iccha é a única solução, e isso tem de ser claro.

Mumukshutvam tem de ser a prioridade das prioridades.


Este desejo é de tal forma invejoso e ciumento que não permite que outros desejos lhe façam companhia. Mumukshutvam tem de ser um desejo que tudo consome. Para que isto aconteça precisamos de ter sat sanga. Só então esse desejo consumirá todos os demais.


Até lá existe a possibilidade de nos perdermos. Porquê? Porque aquilo em que estamos interessados é algo contrário às buscas vulgares e comuns do ser humano. As pessoas que não têm a mesma busca tendem a pôr em causa a nossa busca, a semear dúvidas e como no início não existe ainda clareza suficiente, a dúvida ou mal entendido podem pôr tudo em causa. Às vezes, o valor do satsanga não é tão óbvio, porque não nos sentimos postos em causa ou questionados por quem quer que seja, mas sem nos apercebermos os interesses, desejos, valores e ideias que são estimulados pela companhia que escolhemos regularmente, afastam-nos do caminho.


A equação é simples: uma mente tendencialmente extroversa quando associada a mentes semelhantes torna-se ainda mais voltada para o efémero. A mesma mente associada a pessoas dadas a um pensamento mais profundo e a um questionamento da realidade torna-se menos autómata, menos voltada ao imediato, e mais pensante. Certamente já todos reconhecemos isso em maior ou menor medida. É a diferença na forma como olhamos a vida quando estamos num retiro ou passamos uma temporada num ashram ou quando passamos um fim-de-semana com os velhos amigos da adolescência.
Assim, que a companhia que procuramos seja escolhida conscientemente tendo moksha como prioridade.


Partilhe este artigo: 
| Mais


 

 



Desenvolvido por pontodesign  
 X