Pesquisar:







banner_yoga_pro_br

Ensinamento

AHIṀSĀ, Não-violência
Simão Monteiro
16-01-2013


Hiṁsā significa dano, violência. Ahiṁsā significa não-violência. Não-violência a três níveis: físico, verbal e mental.  Não gostamos que os outros nos magoem, os outros também não gostam de ser magoados; este é um valor básico. Assim, temos um valor universal:  ahiṁsā. Todos os demais valores como  a aceitação,  a rectidão,  etc., centram-se neste único valor: ahiṁsā. 

Ahiṁsā resulta da apreciação dos direitos e formas de estar dos demais seres, incluindo os animais e os vegetais. Este valor requer uma grande sensibilidade e atenção da nossa parte, em todos os momentos do dia, para não magoarmos nenhum ser, conscientemente. 

A forma mais densa de  hiṁsā é a violência física. Violência física não está confinada apenas a bater em pessoas, inclui  também acções como atirar ou bater em coisas. Se sentimos que já estamos livres desta fraqueza, podemos concentrar-nos na violência verbal como gritar ou usar linguagem abusiva ou indecente.Para podermos deixar a violência precisamos de saber a sua causa. Existem três razões para a violência acontecer:

IGNORÂNCIA

Sem nos darmos conta podemos magoar alguém, física ou verbalmente. Exemplo: Pisar uma pessoa sem nos apercebermos. 
Por isso é tão importante estar constantemente alerta  a fim de percebermos se estamos a magoar o outro ou não. Numa família, por exemplo, tem que haver comunicação, confiança e entendimento entre todos. Devemos saber dizer quando alguém nos magoa e sabermos também o que magoa os restantes membros da família. 
Para evitar a ignorância acerca do que magoa os demais, devemos interagir com eles, percebendo se os magoamos. Se queremos colher os  benefícios de uma vida familiar e social, devemos ter a flexibilidade para deixar aquelas acções e palavras que magoam os nossos familiares, amigos e restantes pessoas com quem convivemos.

INSENSIBILIDADE

Neste caso a ignorância não é a causa da violência. Nós sabemos que estamos a magoar. Sabemos porque não queremos que os demais nos façam o mesmo. Nós temos esta consciência. Mas, mesmo assim, magoamos.Muitas pessoas gostam de ver os outros sofrer,  sentem-se bem com isso. Desfrutam quando criticam alguém, especialmente quando conhecem o seu ponto fraco. A isto chama-se insensibilidade. 
Uma pessoa com o valor de ahiṁsā bem estabelecido é uma pessoa com uma mente sensível. Uma mente sensível é aquela  que tem empatia pelos outros. Ter empatia é saber colocar-se no lugar dos demais, conseguir sentir aquilo que o outro sente. Devo ser tão sensível que qualquer dor mínima no outro é sentida por mim. Quanto mais sensível for a nossa mente, maior empatia se cria com o que está à nossa volta, compreendendo melhor os sentimentos e necessidades dos outros. E quando 
criamos esta empatia, dificilmente conseguimos magoar os demais.
Esta maior sensibilidade é bem-vinda, pois vai ajudar-nos a sermos pessoas gentis, com pensamentos, linguagem e acções gentis. Só assim poderemos desenvolver o importante valor da compaixão.

RAIVA

A raiva é uma emoção natural. Todos temos raiva, gostemos ou não, porque a raiva é um mecanismo de defesa. Mas neste caso estamos a discutir a raiva  como a incapacidade da mente para enfrentar situações difíceis. Esta incapacidade para enfrentar situações difíceis é uma fraqueza da mente. Infelizmente, muitas vezes justifico a minha raiva culpando os demais, partindo para a violência física e/ou verbal. Devo aprender a gerir a raiva para não castigar injustamente os outros.
Noutras ocasiões são os comportamentos das pessoas que desencadeiam a raiva dentro de mim. Eu espero que as pessoas se comportem de determinada forma. Mas na verdade, eu não tenho qualquer tipo de controlo sobre o comportamento das pessoas. Não posso escolher como a pessoa se deve comportar, mas posso escolher em qualquer situação, ser calmo, ser sempre calmo.

Partilhe este artigo: 
| Mais


 

 



Desenvolvido por pontodesign  
 X