Pesquisar:







banner_yoga_pro_br

Ensinamento

Indryartheshu Vairagyam
Simão Monteiro
12-11-2013


Desapego em relação aos objectos dos órgãos dos sentidos


Indriya significa órgãos dos sentidos e artha, objecto. Vairāgyam significa desapego. Para entendermos o que é o desapego é fundamental entendermos o que é apego. Apego significa depender do mundo (objectos, pessoas, experiências) nomeadamente a nível psicológico, para ter segurança, paz e felicidade. Quando conseguimos discernir que o mundo não serve esse propósito deixamos de depender dele, deixamos de buscar nele a felicidade ou segurança e isso é desapego.

Ao percebermos que o mundo não nos pode trazer felicidade, facilmente podemos cair no extremo oposto: criar aversão em relação ao mundo. Devemos evitar os extremos. Percebemos que o mundo e os objectos têm a sua beleza e são manifestações de Īśvara. Portanto, podemos usá-los e desfrutá-los. Mas, ao mesmo tempo, lembramos que tudo isto que experienciamos está sujeito a mudar e a acabar. Devemos saber desfrutar da presença dos objectos mas saber também lidar com a sua ausência. 

Desapego é estar mentalmente preparado para perder qualquer coisa (qualquer objecto sensorial) a qualquer momento, porque sabemos que tudo aquilo que experienciamos tem um início e um fim.

Muitas vezes o desapego é entendido como não ter desejos. O problema não é desejar, o problema é ser governado pelos desejos, ser levado a fazer qualquer coisa para realizar os desejos esquecendo, muitas vezes, os nossos valores pelo que é correcto e adequado.

Desapego é olhar para os objectos tal como são, sem emprestar a nossa subjectividade, sem projectar neles o poder de nos fazer felizes ou infelizes. Ver uma casa como uma casa e não como uma fonte de felicidade, ver o dinheiro como dinheiro, a pessoa amada tal como é e não como uma extensão de nós mesmos. Compreendemos que todas estas coisas podem trazer alegria ou tristeza ou um misto dos dois e que esses estados são transitórios, começam e acabam. Percebemos que em todo o ganho existe uma perda e que, depois de satisfazer um desejo, um novo desejo sempre surge. Entendemos que tudo aquilo que é observável é limitado no tempo e espaço e por isso aquilo que nos pode proporcionar é também limitado.

Nas palavras do Svāmi Paramārthānanda: "Desapego não é abandonar o mundo mas sim abandonar a ilusão de que é através do mundo e de seus objectos que alcançaremos a felicidade". Desapegar-me não significa deixar os meus afazeres, deixar as responsabilidades que tenho com a minha família, amigos e trabalho e isolar-me numa montanha. Isso é fugir. Se preciso fugir do mundo para resolver os meus problemas é porque ainda não os resolvi e a única forma de resolver os problemas advindos das relações que estabeleço no mundo é, no mundo, resolver esses problemas. Senão, para onde eu for, os problemas irão comigo.


Partilhe este artigo: 
| Mais


 

 



Desenvolvido por pontodesign  
 X